segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Meu Nome Não É Johnny

Lembro bem da primeira vez que vi João Guilherme Estrella num programa de entrevistas na Globo News.
Um senhor carioca de 46 anos que se comunicava bem... uma pessoa carismática.
Contava sua descida ao fundo do poço quando de usuário festivo de drogas pesadas, por um misto de ingenuidade e ambição, tornou-se um mega traficante internacional.
Sua história tinha acabado de virar livro. E na hora pensei, putz isso dava um filme...
O filme aconteceu e está nas telas de todo o Brasil: Meu Nome Não É Johnny.
O escolhido para encarnar o ex-adolescente de classe média que vira traficante tinha que ter o carisma do personagem real. E não há nome melhor no cinema nacional no momento do que Selton Mello. Sou suspeito pra falar do cara porque sou fã (veja o que escrevi sobre ele em O Cheiro do Ralo). Mas o fato é que ele dá um show (de novo)!...
O filme é esperto, moderno, cheio de referências dos anos 80/90, uma trilha saborosa e atuações inspiradas. Especial destaque para Julia Lemmertz e Cassia Kiss como a juíza que teve papel decisivo na vida de João.

Selton Mello tem um timing incrível, diferente, um estilo único de fazer humor e drama, mostrou pra quem ainda duvidava que sabe emocionar. Uma performance memorável. Um gênio que só não pode ficar solto para não dar em viagens como sua recente e fracassada aventura na tv, a série O Sistema (uma bobagem constrangedora...). Selton, dirigido, com um bom roteiro na mão, é imbatível.
Confira!...

PS: o verdadeiro João mantém um blog interessante. Passe lá por aqui.
E pra saber onde está em cartaz, clique aqui.

Um comentário:

drica disse...

adorei ! assisti ontém. o timing de selton eh algo impressionante mesmo !
;-)