segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A Rede Social

David Fincher é um daqueles diretores que sempre vale a pena conferir algum filme seu. Até de seus piores filmes é possível se tirar ótimas impressões. No caso de seu mais recente lançamento A Rede Social, é um prazer sair da sessão com o sabor de se ter visto um filme inteligente em vários aspectos. A história real do nerd que ficou bilionário com a criação de um site de relacionamentos é extremamente bem contada no filme. A esta altura, todo mundo já deve ter lido algo sobre A Rede Social ou mesmo o livro que deu origem ao filme, Bilionários Por Acaso, um best seller no momento. O roteiro muito esperto conta a história de 3 personagens principais ligados à criação do Facebook: o gênio introvertido Zuckerberg pai da ideia, seu fiel parceiro de faculdade e avalista de sua invenção desde o início e o experiente criador do Napster interpretado pelo talentoso Justin Timberlake. Inteligentemente o roteiro é fragmentado entre o processo de nascimento do Facebook e os inúmeros processos a que responde seu criador, Mark Zuckerberg. As cenas de julgamentos são ótimas cheias de rancor, decepções, traições, ex-amigos lavando roupa-suja...
Ninguém vai ao cinema muito empolgado ver um filme de nerds que vivem na frente do computador, mas todos saem da sala com a sensação de ter visto um grande filme.
A Rede Social me lembra em vários aspectos um clássico do meu tempo, Sociedade Dos Poetas Mortos. Ambos ambientados em universidades aristocráticas e elitistas. Ambos tendo nerds como protagonistas. Ambos verborrágicos, há muito texto nos dois roteiros e ambos realizam a proeza de, mesmo estando mais perto de serem filmes chatos, são arrebatadores.
A Rede Social me deu muita satisfação! Saí feliz do cinema por ter podido assistir a um filme tão bom!...

Um comentário:

Graciela disse...

Concordo, o filme é bom, mas...Globo de Ouro? Acho que não merecia tanto. Gosto do Fincher, gosto de seus filmes, mas na minha opinião A Rede Social está sendo supervalorizado.

É um bom drama bem dirigido. "A Origem" é que merecia. Sem desmerecer o Fincher, mas enquanto ele pegou uma história pronta e roteirizada por outra pessoa o Nolan escreveu, roteirizou E dirigiu um filme extremamente original que não levou nada na premiação do Globo de Ouro. Triste.

Mas meus parabéns pro David Fincher. Espero que sua versão pra trilogia Millenium seja bem recebida.